Protocolos de Colaboração

Protocolo de colaboração com a AICEP

A recente reestruturação da administração pública nacional vai no sentido de uma maior coordenação entre a área económica e a dos Negócios Estrangeiros, refletida numa plataforma comum que reforce a diplomacia económica e dê maior abertura e robustez ao tecido produtivo português.

Dada a especificidade e as necessidades muito próprias do setor agrícola, a integração do MAMAOT numa plataforma comum de internacionalização permitirá, no âmbito das suas competências, realizar as ações de articulação necessárias ao aumento do contributo deste setor para a internacionalização da economia. Portugal só conseguirá atingir os objectivos e as metas de crescimento e desenvolvimento propostas, se o fizer sob um chapéu único, incluindo as empresas agrícolas, agroindustriais e florestais.

No âmbito das restrições existentes, a estrutura organizacional foi adaptada, procurando dar resposta, de forma continuada e com garantias de obtenção de resultados, às solicitações do setor agroalimentar para a promoção da internacionalização das empresas e produtos. Todas as adaptações estruturais foram feitas tendo em conta as competências complementares dos diversos organismos/entidades, tendo, nomeadamente, sido elaborado um Protocolo de colaboração com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Com este protocolo, em vigor desde Março de 2011, a AICEP, EPE, e o GPP comprometem-se a unir esforços e disponibilizar os seus serviços para apoiar e acompanhar ações nos domínios do estudo e análise de mercados, da presença em feiras e exposições, da pesquisa de oportunidades de negócio, de reuniões bilaterais entre empresas portuguesas e estrangeiras e da identificação e da resolução de eventuais barreiras não tarifárias.

Protocolo de colaboração no âmbito do Turismo Rural

Está em curso a elaboração de um protocolo de colaboração neste âmbito entre o GPP, a Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR), o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P. (ICNF) e o Turismo de Portugal, I. P., tendo em vista a promoção da internacionalização deste setor.


Atualização: 31-01-2013